Academia Filarmônica | Recital de Câmara

Laila Rodrigues, oboé
Marcos Fernandes, flauta
Luís Umbelino, clarinete
Juliana Santos, fagote
Weverton Santos, trompa
Josafá Ferreira, viola
Déverson Correia, violoncelo
Henrique Rocha, violino
Thiago Barros, violino
André Inácio, viola
Andre Freire, violoncelo
Filipe Costa, contrabaixo
Ana Luíza Cicarini, harpa
Marcos Alves, vibrafone
José Vitor Assis, trompete
Wesley Procópio, trombone
Daniel Miranda, tuba
Marlon Humphreys-Lima, trompete
* mentor convidado

|    Academia Filarmônica

HAYDN/Perry
BEETHOVEN
DVORÁK
VILLA-LOBOS
R. VICTÓRIO
E. CRAUSAZ
Divertimento para sopros, Hob.II:46
Dueto “com dois óculos obbligato”, WoO 32 Spiritual
Quinteto de cordas nº 2, op. 77
Suíte Floral: Uma camponesa cantadeira
Exominiaturas II
Primeira Suíte para quinteto de metais

Laila Rodrigues, oboé

Natural de Belo Horizonte, Laila Rodrigues iniciou sua formação musical no curso de musicalização infantil da Escola de Música da Universidade Estadual de Minas Gerais, em 2005, aos sete anos de idade. Dois anos depois, começou os estudos de oboé sob orientação de Gustavo Nápoli. Em 2019, ainda nesta instituição, concluiu o Bacharelado em Oboé, mesmo ano em que foi uma das vencedoras do concurso Jovem Músico BDMG. Além de tocar com a orquestra da universidade, fez participações com a Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, Orquestra de Câmara do Inhotim e Camerata Antiqua de Curitiba. Participou de diversos festivais, como o Femusc 2019, Oficina de Música de Curitiba e a Academia Jovem Concertante 2022. Em 2021, teve aulas com Alexandre Barros e atualmente é aluna de Israel Muniz, Oboé e Corne Inglês da Filarmônica.

Natural de Belo Horizonte, Marcos Fernandes iniciou seus estudos no Cefart (o Centro de Formação Artística e Tecnológica) da Fundação Clóvis Salgado, sob orientação do professor Alexandre Braga. É Bacharel em Flauta Transversal pela Escola de Música da Universidade Federal de Minas Gerais, onde foi aluno das classes de Artur Andrés e Maurício Freire. Foi vencedor da primeira edição do Concurso Jovens Solistas do Cefart e do Jovem Músico BDMG. Integrou a Orquestra Sinfônica de Betim e, atualmente, faz parte da Orquestra Voluntária de Belo Horizonte. É aluno de Cássia Lima, Principal Flauta da Filarmônica.

Luís Umbelino iniciou seus estudos de música na Sociedade Musical Santa Cecília de Sabará na classe do professor Marcelo Umbelino. Prosseguiu os estudos no Cefart (o Centro de Formação Artística e Tecnológica) da Fundação Clóvis Salgado, na classe de Walter Alves e Ney Franco. Tornou-se Bacharel em Clarinete pela Escola de Música da Universidade Federal de Minas Gerais, onde atualmente cursa mestrado em Performance sob orientação do professor Maurício Loureiro. Além de importantes festivais de música no Brasil, Luís frequentou o Forum-Artium, na Alemanha, e foi aluno do Conservatório de Nice, França, na classe do professor Michel Lethiec. Há cinco anos, atua como músico convidado na Orquestra Sinfônica de Minas Gerais. É aluno de Marcus Julius Lander, Principal Clarinete da Filarmônica.

Juliana Santos iniciou seus estudos musicais no curso de musicalização infantil da Escola de Música de Brasília, mesma instituição onde concluiu, posteriormente, o Curso Técnico em Fagote. É licenciada em Música e cursa, atualmente, o bacharelado em Fagote pela Universidade de Brasília, sob orientação de Ebnezer Nogueira e Fábio Benites. Como musicista convidada, atuou na Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Cláudio Santoro, tocando fagote e contrafagote. Em 2020 e 2021, atuou como Primeiro Fagote na Orquestra Filarmônica de Brasília. Na Academia, é aluna de Adolfo Cabrerizo, Principal Fagote da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais.

Bacharel em Trompa pela Universidade do Estado de Minas Gerais, Weverton Santos iniciou seus estudos musicais em sua cidade natal, no Projeto Música de Sarzedo, com o maestro Joanir Oliveira. Atuou como músico convidado nas orquestras Sinfônica de Minas Gerais, Sinfônica da Escola de Música da UFMG, Sinfônica da Escola de Música da UEMG, Orquestra Virtuosi, Sinfônica de Betim, Orquestra Opus e Filarmônica de Minas Gerais. Representou o Brasil na turnê da Orquestra das Américas pelo México. Weverton venceu o Concurso Jovens Solistas da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais e foi premiado na International Orchestra Auditions Awards da Samnium University of Music. Participou de seminários na Alemanha e do Festival Internacional Música de Portillo, no Chile. Recentemente, foi aceito na Eastman School of Music. Na Academia, é aluno de Alma Maria Liebrecht, Principal Trompa da Filarmônica.

Natural de Alfenas, Josafá Ferreira é Bacharel em Viola pela Universidade Federal de Minas Gerais. Iniciou seus estudos no Centro Municipal de Música Professora Tiso Veiga, em Alfenas, onde foi membro da Camerata Theophilius. Atuou na Orquestra Sinfônica da Escola de Música da UFMG e na Orquestra Sinfônica de Betim e foi convidado das orquestras Sinfônica de Minas Gerais, de Câmara Opus e de Câmara Sesiminas. É aluno de João Carlos Ferreira, Principal Viola da Filarmônica.

Nascido em Osasco, iniciou seus estudos de violoncelo no Conservatório de Tatuí, graduando-se pelo Instituto de Artes da Universidade Federal de Uberlândia. Venceu o Side by Side, sendo selecionado para se apresentar em Miami junto à orquestra New World Symphony sob regência de Michael Tilson Thomas. Foi também vencedor do Concurso Jovens Solistas Sinos/Fimuca e finalista do Concurso Aldo Parisot e do Concurso de Música Jovens Talentos Troféu Mansueto Barbosa. Tem atuado nos principais festivais de música do país e se aperfeiçoado com grandes nomes nacionais e internacionais do violoncelo. Integra o Duo Guerra-Correia, que desenvolve pesquisa e fomento de música brasileira para violoncelo e violão, já tendo realizado turnês pelo Sudeste brasileiro e a Belfort, França. Integra também o Cerrado Ensemble, grupo voltado ao repertório camerístico dos séculos XX e XXI. Na Academia, é aluno de é aluno de Philip Hansen, Principal Violoncelo da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais.

Henrique Rocha iniciou seus estudos em 2008 na Escola de Formação de Instrumentistas de Cordas Sesiminas. Concluiu o bacharelado em Violino pela Escola de Música da Universidade Federal de Minas Gerais na classe do professor Edson Queiroz. Durante esse período, integrou grupos instrumentais como a Orquestra Sinfônica da Escola de Música da UFMG, Orquestra Jovem Sesiminas e a Orquestra Jovem do Tribunal de Justiça de Minas Gerais. Além de participar de diversos festivais de música, Henrique venceu duas edições consecutivas do concurso Jovem Músico BDMG. Tem como mentor Rommel Fernandes, spalla em exercício da Filarmônica.

Iniciou seus estudos em 2006 com o professor e seu pai Elias Barros. Mais tarde, atuou como spalla na orquestra sinfônica da UFMG e na Academia Orquestra Ouro Preto. Recentemente, participou como segundo violino da Orquestra Jovem do Estado de São Paulo. Premiado no Jovem Solista da UFMG (2019), foi, por duas vezes, vencedor do concurso Jovem Músico BDMG, sendo premiado como Jovem Solista e músico de câmara. Além de diversos festivais, Thiago participou de masterclasses com grandes professores, como Bernard Zinck, Gabriel Koh Kameda, Emanuelle Baldini, Carmelo de los Santos e Marcelo Guerchfeld. Atualmente, finaliza o bacharelado em Música na UFMG e tem como mentor Rommel Fernandes, spalla em exercício da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais.

Bacharel em Viola pela Universidade Federal de Minas Gerais, André Inácio iniciou seus estudos na sua cidade natal, Belo Horizonte, como aluno da Escola de Formação de Instrumentistas de Cordas Sesiminas. Na mesma instituição, integrou a Orquestra Jovem Sesiminas, se apresentando em concertos em BH e no interior de Minas Gerais. André também foi membro da Orquestra Jovem do Tribunal de Justiça de Minas Gerais e da Orquestra Sinfônica da Escola de Música da UFMG. É aluno de João Carlos Ferreira, Principal Viola da Filarmônica.

Andre iniciou os seus estudos em Brasília, com a professora Norma Parrot. É formado pela UFMG na classe da professora Elise Pittenger, e foi aprovado para cursar o mestrado na Musikhoschule Münster, na Alemanha, onde iniciará seus estudos no segundo semestre de 2022. Frequentou festivais nacionais e internacionais, como o Festival de Inverno de Campos do Jordão, o Side by Side by El Sistema e o New Mexico Summer Institute (onde obteve menção honrosa na competição solo). Foi premiado no concurso nacional de violoncelos de Ouro Branco 2022. Possui ampla experiência orquestral, tendo atuado sob a batuta dos regentes Gustavo Dudamel, Santtu-Matias Rouvali, Giancarlo Guerrero e Neil Thomson. Como camerista, já se apresentou nos Estados Unidos, na Suécia, na Noruega e em diversos estados brasileiros. Na Academia, é aluno de Philip Hansen, Principal Violoncelo da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais.

Filipe Costa iniciou os estudos na Casa de Música de Ouro Branco com Thiago dos Santos. Atualmente, é aluno do bacharelado em Contrabaixo da Universidade Federal de Minas Gerais, na classe do professor Fausto Borém. Atuou como Segundo Contrabaixo da Orquestra do Festival Gramado in Concert, como chefe de naipe da Orquestra do Festival de Pelotas e da Orquestra de Cordas da UFMG. Integra o naipe de contrabaixos da Orquestra Sesiminas Musicoop. É aluno de Neto Belotto, Principal Contrabaixo da Filarmônica.

Ana Luíza Cicarini iniciou seus estudos de harpa aos seis anos no Centro de Musicalização Infantil da Universidade Federal de Minas Gerais. Foi aluna de Audilaine Andrade, Cecília Pacheco e de Marcelo Penido. Aos doze anos, venceu o concurso Jovem Músico BDMG. Aos 13, recebeu o Prêmio Revelação do Concurso Internacional de Harpa Marcelo Tournier, em Cosenza, na Itália, como a mais jovem competidora da edição. Aos 14 anos, obteve o primeiro lugar na competição internacional de música Crescendo, na categoria Little Mozart. Devido a essa premiação, participou, em janeiro de 2022, do Concerto de Gala dos Vencedores no Carnegie Hall, em Nova York. Pelo segundo ano consecutivo, foi convidada pela Orquestra Italiana de Harpas a representar o Brasil em gravações para o projeto de combate à violência contra a mulher. Aos 15 anos, Ana Luíza é a mais jovem integrante da Academia Filarmônica. Ela tem como mentora a Principal Harpa da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, Clémence Boinot.

Marcos Alves iniciou seus estudos musicais aos oito anos na Banda de Música Dárcio Maciel Ribeiro, em sua cidade natal, Papagaios, no interior de Minas Gerais. É aluno do bacharelado em Percussão da Universidade Federal de Minas Gerais. Na música popular, Marcos se dedica ao estudo do pandeiro e se apresenta com importantes nomes do choro nacional. Como percussionista, já atuou com a Orquestra Jovem de Inhotim, Orquestra Voluntária de Belo Horizonte, Orquestra Ouro Preto e as sinfônicas de Minas Gerais e do Espírito Santo. É aluno de Hilvic González, Principal Timpanista da Filarmônica.

Bacharel em Trompete pela Universidade do Estado de Minas Gerais, José Vitor Assis foi vencedor do Concurso Jovens Solistas da Associação Brasileira de Trompetistas. Também obteve o primeiro lugar no Concurso Jovens Solistas da Escola de Música da UEMG. Foi músico convidado em concertos da Sinfônica e da Filarmônica de Minas Gerais. É integrante do Babadan Banda de Rua, da Banda de Música da Polícia Militar do Estado de Minas Gerais e da Orquestra Voluntária de Belo Horizonte. É aluno de Marlon Humphreys-Lima, Principal Trompete da Filarmônica.

Wesley Procópio iniciou seus estudos na Sociedade Musical São Vicente de Paulo, em Mariana, sua cidade natal. Foi aluno de Ian Guest, no Museu da Música de Mariana. Atuou como Primeiro Trombone da Orquestra Sinfônica de Betim e participou do Festival Trombonanza, em Santa Fé, Argentina. É licenciado em Música pela Universidade Federal de Ouro preto e, atualmente, cursa o mestrado em Performance Musical na Universidade Federal de São João del-Rei. Seu objeto de pesquisa é a presença do trombone e do oficleide na música brasileira do século XIX. É aluno de Mark John Mulley, Principal Trombone da Filarmônica.

Daniel Miranda iniciou seus estudos na Sociedade Recreativa & Cultural Filarmônica 30 de Junho, no município de Serrinha, Bahia, sua terra natal. Tem vasta experiência em Bandas Filarmônicas, bem como fanfarras. Foi Primeira Tuba da Orquestra Castro Alves e da Orquestra Sinfônica Juvenil da Bahia. Integrou o Projeto Neojiba entre 2014 e 2022, realizando diversas turnês e recitais, incluindo os países Suíça, Itália e França. Também dentro do programa, obteve experiência como monitor de tuba e metais. Ao longo desses anos, participou de diversos cursos e festivais, como o Painel Funarte (2013), Femusc (2016, 2020) e Pelotas (2019). Em 2022, foi aprovado na Academia Filarmônica, tendo aulas com os tubistas Eleilton Cruz (Tuba Principal) e Rafael Mendes.

Natural de São Paulo, teve sólida formação musical com Gilberto Siqueira e foi vencedor do Prêmio Weril (2000). Com bolsa de estudos da Vitae, aperfeiçoou-se em Chicago com Mark Ridenour e Aldoph Herseth. Foi solista na Civic Orchestra of Chicago e trabalhou com a Chicago Symphony, Grand Park Symphony, Rochester Philharmonic e Oak Park Symphony. No Japão, foi membro fundador e solista da Hyogo Performing Arts Center Orchestra e participou do Pacific Music Festival. Trabalhou com os maiores regentes da atualidade, destacando-se Valery Gergiev, Daniel Barenboim e Pierre Boulez. A convite de Valery Gergiev, participa da World Orchestra for Peace.

Programa de Concerto