Clássico, romântico, moderno

Fabio Mechetti, regente
Daniela Liebman, piano

|    Presto 2022

|    Veloce 2022

MOZART
SCHUMANN
POULENC
Concerto para piano nº 22 em Mi bemol maior, K. 482
Manfredo, op. 115: Abertura
Sinfonieta

Fabio Mechetti, regente

Natural de São Paulo, Fabio Mechetti é Diretor Artístico e Regente Titular da Filarmônica de Minas Gerais desde 2008, ano de sua criação. Em 2014, ao ser convidado para ocupar o cargo de Regente Principal da Filarmônica da Malásia, tornou-se o primeiro brasileiro a dirigir uma orquestra asiática. Foi Residente da Sinfônica de San Diego, Titular das sinfônicas de Syracuse, Spokane e Jacksonville, sendo agora Regente Emérito das duas últimas. Foi Regente Associado de Mstislav Rostropovich na Sinfônica Nacional de Washington. Além de uma sólida carreira nos Estados Unidos e no Brasil, já conduziu em países como México, Peru, Venezuela, Nova Zelândia, Espanha, Japão, Escócia, Finlândia, Canadá, Suécia e Itália. Mechetti é vencedor do Concurso Internacional de Regência Nicolai Malko. Possui títulos de mestrado em Composição e em Regência pela Juilliard School.

Nascida em Guadalajara, México, Daniela Liebman começou seus estudos no piano aos cinco anos e atualmente estuda com Tamás Ungár, em Fort Worth, Texas. Sua estreia foi aos oito anos com a Sinfônica de Aguascalientes. Como solista, já se apresentou ao lado das sinfônicas Nacional do Equador, Nacional do México, Nacional de Bogotá e a Fladamex, e as filarmônicas de Ontario, Orlando, Jalisco e da Cidade do México. Seu trabalho camerístico teve destaque ao estrear no Palacio de Bellas Artes, na Cidade do México, com a apresentação de Shostakovich e Mozart com a Orquestra de Câmara de Bellas Artes. Em Nova York, se apresentou no Carnegie Hall com a Orquestra de Câmara Park Avenue. Artista internacional Yamaha, estreou nas gravações em 2018 com o lançamento de seu disco homônimo.

Programa de Concerto

Concerto para piano nº 22 em Mi bemol maior, K. 482 | MOZART

No fim de 1785 e início de 1786, enquanto trabalhava na partitura de As bodas de Fígaro, Mozart escreveu três concertos para piano. Trabalhos pertencentes ao momento mais produtivo de toda a vida do compositor, os concertos para piano eram a ocasião ideal para o público acompanhar a interseção de seu lado compositor com sua face pianista. Desde sua mudança para Viena, em 1782, até 1786, Mozart escreveu nada menos que quinze obras do tipo, pois seu sustento financeiro dependia das apresentações. E o frescor das apresentações dependia, por sua vez, de obras inéditas. Justamente por razões financeiras, Mozart agendou três apresentações ao fim de dezembro de 1786. O Concerto para piano nº 22 foi terminado no dia 16, bem a tempo da estreia, no dia 23 de dezembro. Este foi o primeiro dos concertos para piano que Mozart concebeu com clarinetes em mente, e de fato incluiu clarinetes na instrumentação. A orquestra completa inclui flauta, dois clarinetes, dois fagotes, duas trompas, dois trompetes, tímpano e orquestra de cordas.

12 Maio 2022
quinta-feira, 20h30

Sala Minas Gerais

13 Maio 2022
sexta-feira, 20h30

Sala Minas Gerais
Quero ser lembrado deste concerto.
adicione à agenda 12/05/2022 8:30 PM America/Sao_Paulo Clássico, romântico, moderno false DD/MM/YYYY