Filarmônica em Câmara-Digital

Ana Zivkovic, violino
Roberta Arruda, violino
Frank Haemmer, violino
Valentina Gostilovitch, violino
Mikhail Bugaev, viola
Camila Pacifico, violoncelo

|    Filarmônica em Câmara

PROKOFIEV
MOZART
Sonata para dois violinos em Dó maior, op. 56
Quarteto de cordas nº 19 em Dó maior, K. 465, “Dissonância”

Ana Zivkovic, violino

Ana começou a tocar violino na Escola Primária de Música em sua cidade natal, Belgrado, onde seguiu os estudos na Escola de Música Dr. Vojislav Vuckovic. Após graduar-se pela Faculdade de Música de Belgrado na classe do professor Dejan Mihailovic em 2002, continuou aperfeiçoando-se na Academia de Música de Mannheim, na Alemanha, na classe do professor Roman Nodel até 2005. Recebeu o primeiro lugar no Serbia State em 1996 e os segundos lugares no Prêmio Nacional da Iugoslávia Novi Sad em 1996 e no Prêmio Internacional em Paris. Em duas ocasiões, Ana recebeu também o Prêmio Internacional de Streza, na Itália – primeiro em 1994, como solista, e depois em 1995, ao lado de um trio, ocupando a segunda posição. De 2000 a 2002, integrou o Quarteto de Cordas da Orquestra de Câmara Dusan Skovran de Belgrado e atuou como assistente de spalla na Orquestra de Câmara de Mannheim. Antes de se juntar á Filarmônica novembro de 2011, atuou nas orquestras Badische Staatskapelle Karlsruhe e Neue Philharmonie Westfalen.

Roberta começou a estudar música em Campinas aos sete anos de idade. Na juventude, participou dos mais importantes festivais brasileiros, tocou como solista em Campinas e São Paulo e, em 2001, integrou a Orquestra Jovem das Américas. Foi premiada no Concurso de Música de Câmara Henrique Nuremberg. Com uma bolsa da Fundação Vitae, estudou por dois anos na Academia Franz Liszt de Budapeste, na Hungria. Lá, entre outros, teve como professores membros do Quarteto Bartók. Após aperfeiçoar-se também em Munique, na Alemanha, mudou-se para os EUA, onde completou o mestrado. Ainda lá, no estado do Novo México, desenvolveu uma carreira ativa como musicista de câmara, além de ter tocado como solista e integrado diversos grupos, dentre eles o Santa Fe Pro Musica, onde foi Principal Assistente dos Segundos Violinos. Em 2012, passou a integrar o Quarteto La Catrina e a lecionar na New Mexico State University, onde ficou por três anos. Com o Quarteto, especializado em divulgar o repertório clássico latino, fez várias turnês pelos país.

Frank Haemmer graduou-se com pontuação máxima e concluiu pós-graduação em Violino-Performance na Escola Superior de Música Franz Liszt, na sua Alemanha natal. Atuou em diversas orquestras alemãs, como Rundfunk Musikschul Orchester, Orquestra da Escola Franz Liszt, Jenaer Philharmonie e Staatskapelle Weimar, da qual também foi solista. No Brasil, apresentou-se com a Orquestra Jovem de Florianópolis, Osesp e Amazonas Filarmônica, onde liderou os segundos violinos. Ingressou na Filarmônica de Minas Gerais em 2008. Em música de câmara, aperfeiçoou-se com Petersen-Streichquartett, U. Beetz, N. Brainin e D. Dewich. No Brasil, fundou o Quarteto de Cordas Taron-Weimar.

Valentina nasceu na Bielorrússia e é naturalizada brasileira. Aos oito anos de idade, começou seus estudos de violino na Escola Estadual de Minsk, capital de seu país natal. Lá prosseguiu com sua formação musical no Colégio de Artes, de 1982 a 1989. Entre 1989 e 1994, especializou-se em Interpretação Instrumental (Violino) na Academia Estadual de Música, também em Minsk. Por decisão da Comissão Examinadora Estatal, recebeu a qualificação de Artista da Orquestra Sinfônica e da Orquestra de Câmara, bem como de professora de Violino. Trabalhou na Orquestra Sinfônica Nacional de Minsky entre 1994 e 1997, quando se mudou para Manaus. Integrou os Primeiros Violinos da Orquestra Amazonas Filarmônica e ocupou a chefia dos Segundos Violinos de 2008 a 2009. Também na capital amazônica, foi professora no Centro Cultural Claudio Santoro entre 1997 e 2003.

Mikhail Bugaev nasceu em Novosibirsk, Rússia. Durante sua formação no Conservatório Estatal de Novosibirsk, onde estudou com Yuri Mazchenko, Mikhail iniciou sua carreira profissional como membro da Orquestra Sinfônica de Novosibirsk e da Novosibirsk Kamerata. Em 2009, mudou-se para os Estados Unidos para prosseguir os estudos e, em 2013, completou seu doutorado na Michigan State University, sob orientação de Yuri Gandelsman. Durante esse período, Mikhail participou de masterclasses com Roberto Díaz, Roger Chase, Stanley Drucker e Valentin Berlinsky. Nos Estados Unidos, Bugaev tocou regularmente com Kalamazoo, Flint, Lansing e as sinfônicas de West Michigan e Traverse; foi músico convidado nas orquestras sinfônicas de Minnesota, Grand Rapids, Arkansas e West Virginia. Como solista, apresentou-se com a Orquestra Sinfônica de Novosibirsk, a Novosibirsk Kamerata e a Orquestra Sinfônica de Livingston. É um ativo músico de câmara, tendo participado de festivais com o Quarteto São Petersburgo, Yuri Gandelsman, Ilya Kaler, Suren Bagratuni e Walter Verdehr. Como educador, desde 2012 é membro do corpo de professores do Blue Lake Fine Art Camp.

Camila iniciou seus estudos aos sete anos, com o professor Abel Moares, em Belo Horizonte. Foi premiada pelo Concurso Nacional de Cordas Pró-Música em Juiz de Fora nas edições 1999 e 2001. Foi escolhida como Artista Revelação em Belo Horizonte em 2001 e venceu o Jovens Solistas da Orquestra Sinfônica da Bahia em 2000. Em 2002, participou da Orquestra do Festival de Schleswig-Holstein, na Alemanha, onde ocupou a posição de Concertino de Violoncelos. Obteve o conceito máximo no Künstlerische Instrumentalausbildung pela Escola Superior de Música de Detmold, na classe do professor Márcio Carneiro, onde estudou de 2003 a 2007. De 2008 a 2010, cursou mestrado na classe do professor Antonio Meneses pela Escola Superior de Música em Berna, Suíça, país onde atuou na Sinfônica de Biel. Em 2006 e 2007, participou da Verbier Festival Orchestra, realizando turnês pela Ásia, Estados Unidos e diversos países europeus, sob direção de maestros como Charles Dutoit, James Levine, Zubin Mehta, Esa-Pekka Salonen e Herbert Blomstedt. Em 2007 e 2008, realizou turnê pelo Brasil, México, Argentina e Grécia com grupo de câmara selecionado pela Verbier Orchestra. Como camerista, apresentou-se com o violoncelista Antonio Meneses em 2005 no Palácio de Versalhes, em Paris, na abertura do Ano do Brasil na França.

Programa de Concerto

27 set 2020
domingo, 11h00

Sala Minas Gerais
Quero ser lembrado deste concerto.
adicione à agenda 27/09/2020 11:00 AM America/Sao_Paulo Filarmônica em Câmara-Digital false DD/MM/YYYY
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb
30 31 1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30 1 2 3