Formas musicais

Anderson Alves, regente convidado

|    Concertos para a Juventude

MOZART
TCHAIKOVSKY
DVORÁK
BIZET
SIBELIUS
GRIEG
A. ALVES
As bodas de Fígaro, K. 492: Abertura
Sinfonia nº 4 em fá menor, op. 36: Scherzo: Pizzicato Ostinato
Dança Eslava, op. 72, nº 2
Carmem: Suíte nº 1
Finlândia, op. 26
Danças Sinfônicas, op. 64: Allegro moderato e marcato e Allegretto Grazioso
Fantasia para Orquestra Sinfônica

Anderson Alves, regente convidado

Anderson Alves é maestro, compositor e pianista. Graduado pelo Conservatório Brasileiro de Música, foi finalista do Concurso Jovens Regentes da Sinfônica de Porto Alegre em 2011 e regeu as orquestras Sinfônica Nacional, da Universidade Federal Fluminense, Sinfônica de Heliópolis e Sinfônica de Barra Mansa. Participou do Laboratório em 2015.

Programa de Concerto

As bodas de Fígaro, K. 492: Abertura | MOZART

As bodas de Fígaro é a primeira das três colaborações de Mozart com o libretista Lorenzo Da Ponte – as outras duas são Don Giovanni e Così fan tutte. É uma ópera em quatro atos, cuja estreia aconteceu em maio de 1786, no Burgtheater, em Viena, sob regência do compositor. Para escrevê-la, Mozart baseou-se na peça homônima de Beaumarchais, segunda parte da trilogia do autor francês que começa com O barbeiro de Sevilha e termina com A mãe culpada. A trama se passa em um único dia, o do casamento de Fígaro com Susanna. Ambos trabalham e vivem no castelo do Conde de Almaviva que tenta, de todo modo, seduzir a noiva de seu criado antes da cerimônia. A Abertura, entretanto, é independente, ou seja, não traz temas da ópera propriamente dita, mas sim nos antecipa o estado de espírito da obra.

A composição da Sinfonia nº 4 está intimamente ligada ao aparecimento de Nadezhda von Meck na vida de Tchaikovsky. Musicista amadora e excelente administradora, mantinha um grupo de artistas à sua disposição. Em 1876 encomendou a Tchaikovsky uma peça para violino e piano. Nascia aí um amor platônico e obsessivo e um caso duradouro de mecenato. Madame von Meck depositava mensalmente uma soma considerável de rublos para o compositor, destinada a liberá-lo de dar aulas para sobreviver, dedicando-se inteiramente à composição e às viagens. Os dois trocaram mais de mil cartas e a única imposição feita por von Meck foi a de que nunca se encontrassem pessoalmente. Os primeiros esboços da Quarta Sinfonia datam de fevereiro de 1877. Na época, além de ocupado com a composição da ópera Eugene Oneguin, Tchaikovsky embarcara em um casamento desastrado com sua antiga aluna Antonina Miliukova. A orquestração dos três primeiros movimentos foi concluída em Veneza, no mesmo ano. A conclusão de seu amado opus 36 viria no dia 7 de janeiro de 1878, em San Remo. Considerada pelo compositor como uma de suas melhores obras, a Sinfonia nº 4 foi naturalmente dedicada a Mme. von Meck.

As Danças Eslavas estão entre as criações mais populares de Dvorák. Elas transbordam melodias do folclore eslavo, sem deixar de lado o estilo original do compositor. Escritas entre 1878 e 1886, elas formam dois conjuntos de oito danças cada divididas entre os opus 46 e 72. As Danças foram originalmente compostas para ser tocados no piano a quatro mãos, mas são comumente ouvidas nas versões orquestrais feitas pelo próprio compositor, a pedido de seu editor.

No dia 3 de março de 1875, quem estava no Théâtre national de l’Opéra-Comique de Paris, dificilmente imaginaria que aquela ópera que haviam acabado de ouvir se tornaria a mais encenada em todo o mundo. Estamos falando sobre a Carmem de Georges Bizet. O compositor nunca viveu para ver o sucesso estrondoso de sua obra-prima – morreu aos 36 anos, três meses após a première. A música que na estreia foi descrita como bizarra e incoerente, é abundante em grandes melodias, traz uma caracterização arguta dos personagens e tem a força do realismo em sua essência. A heroína do título, uma cigana que trabalha em um fábrica de cigarros em Sevilla, é um somatório de beleza, sedução, liberdade e do espírito espanhol.

Composto em 1899, o poema sinfônico Finlândia parece ter apenas um único propósito: entoar um hino de amor à terra finlandesa. Embora seja invenção original do compositor, não deixa de apresentar traços do folclore nórdico. Talvez daí o fato de ele ter se tornado uma das melodias mais representativas da cultura musical da Finlândia, concorrendo, entre seus patrícios, com o próprio hino nacional. Estreada em 1900, em Helsinque, pela Sociedade Filarmônica daquela cidade, sob a regência de Robert Kajanus, em um país ainda sob domínio russo, a peça teve que adotar diversos codinomes para que pudesse ser executada sem o veto da censura. É uma das obras mais importantes de Jean Sibelius, símbolo de seu nacionalismo.

Nome mundialmente associado à música nacionalista, Edvard Grieg encontrou nas miniaturas e danças uma eficiente forma de reinvenção musical e expressão nacional. Nos moldes livres de uma fantasia, as Danças Sinfônicas foram compostas “a partir de temas noruegueses” reunidos, em sua maioria, pelo compositor Ludvig M. Lindeman (1812-1887). O Allegro moderato e marcato é derivado do halling, dança popular norueguesa. O Allegretto Grazioso também se inspira na mesma dança, explorando, porém, seus elementos mais líricos.

23 jun 2019
domingo, 11h00

Sala Minas Gerais INGRESSOS ESGOTADOS

Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb
26 27 28 29 30 31 1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30 1 2 3 4 5 6