Formas musicais

Anderson Alves, regente convidado

|    Concertos para a Juventude

MOZART
TCHAIKOVSKY
DVORÁK
BIZET
SIBELIUS
GRIEG
A. ALVES
As bodas de Fígaro, K. 492: Abertura
Sinfonia nº 4 em fá menor, op. 36: Scherzo: Pizzicato Ostinato
Dança Eslava, op. 72, nº 2
Carmem: Suíte nº 1
Finlândia, op. 26
Danças Sinfônicas, op. 64: Allegro moderato e marcato e Allegretto Grazioso
Fantasia para Orquestra Sinfônica

Anderson Alves, regente convidado

Anderson Alves é maestro, compositor e pianista. Graduado pelo Conservatório Brasileiro de Música, foi finalista do Concurso Jovens Regentes da Sinfônica de Porto Alegre em 2011 e regeu as orquestras Sinfônica Nacional, da Universidade Federal Fluminense, Sinfônica de Heliópolis e Sinfônica de Barra Mansa. Participou do Laboratório em 2015.

Programa de Concerto

As bodas de Fígaro, K. 492: Abertura | MOZART

As bodas de Fígaro é a primeira das três colaborações de Mozart com o libretista Lorenzo Da Ponte – as outras duas são Don Giovanni e Così fan tutte. É uma ópera em quatro atos, cuja estreia aconteceu em maio de 1786, no Burgtheater, em Viena, sob regência do compositor. Para escrevê-la, Mozart baseou-se na peça homônima de Beaumarchais, segunda parte da trilogia do autor francês que começa com O barbeiro de Sevilha e termina com A mãe culpada. A trama se passa em um único dia, o do casamento de Fígaro com Susanna. Ambos trabalham e vivem no castelo do Conde de Almaviva que tenta, de todo modo, seduzir a noiva de seu criado antes da cerimônia. A Abertura, entretanto, é independente, ou seja, não traz temas da ópera propriamente dita, mas sim nos antecipa o estado de espírito da obra.

A composição da Sinfonia nº 4 está intimamente ligada ao aparecimento de Nadezhda von Meck na vida de Tchaikovsky. Musicista amadora e excelente administradora, mantinha um grupo de artistas à sua disposição. Em 1876 encomendou a Tchaikovsky uma peça para violino e piano. Nascia aí um amor platônico e obsessivo e um caso duradouro de mecenato. Madame von Meck depositava mensalmente uma soma considerável de rublos para o compositor, destinada a liberá-lo de dar aulas para sobreviver, dedicando-se inteiramente à composição e às viagens. Os dois trocaram mais de mil cartas e a única imposição feita por von Meck foi a de que nunca se encontrassem pessoalmente. Os primeiros esboços da Quarta Sinfonia datam de fevereiro de 1877. Na época, além de ocupado com a composição da ópera Eugene Oneguin, Tchaikovsky embarcara em um casamento desastrado com sua antiga aluna Antonina Miliukova. A orquestração dos três primeiros movimentos foi concluída em Veneza, no mesmo ano. A conclusão de seu amado opus 36 viria no dia 7 de janeiro de 1878, em San Remo. Considerada pelo compositor como uma de suas melhores obras, a Sinfonia nº 4 foi naturalmente dedicada a Mme. von Meck.

As Danças Eslavas estão entre as criações mais populares de Dvorák. Elas transbordam melodias do folclore eslavo, sem deixar de lado o estilo original do compositor. Escritas entre 1878 e 1886, elas formam dois conjuntos de oito danças cada divididas entre os opus 46 e 72. As Danças foram originalmente compostas para ser tocados no piano a quatro mãos, mas são comumente ouvidas nas versões orquestrais feitas pelo próprio compositor, a pedido de seu editor.

No dia 3 de março de 1875, quem estava no Théâtre national de l’Opéra-Comique de Paris, dificilmente imaginaria que aquela ópera que haviam acabado de ouvir se tornaria a mais encenada em todo o mundo. Estamos falando sobre a Carmem de Georges Bizet. O compositor nunca viveu para ver o sucesso estrondoso de sua obra-prima – morreu aos 36 anos, três meses após a première. A música que na estreia foi descrita como bizarra e incoerente, é abundante em grandes melodias, traz uma caracterização arguta dos personagens e tem a força do realismo em sua essência. A heroína do título, uma cigana que trabalha em um fábrica de cigarros em Sevilla, é um somatório de beleza, sedução, liberdade e do espírito espanhol.

Composto em 1899, o poema sinfônico Finlândia parece ter apenas um único propósito: entoar um hino de amor à terra finlandesa. Embora seja invenção original do compositor, não deixa de apresentar traços do folclore nórdico. Talvez daí o fato de ele ter se tornado uma das melodias mais representativas da cultura musical da Finlândia, concorrendo, entre seus patrícios, com o próprio hino nacional. Estreada em 1900, em Helsinque, pela Sociedade Filarmônica daquela cidade, sob a regência de Robert Kajanus, em um país ainda sob domínio russo, a peça teve que adotar diversos codinomes para que pudesse ser executada sem o veto da censura. É uma das obras mais importantes de Jean Sibelius, símbolo de seu nacionalismo.

Nome mundialmente associado à música nacionalista, Edvard Grieg encontrou nas miniaturas e danças uma eficiente forma de reinvenção musical e expressão nacional. Nos moldes livres de uma fantasia, as Danças Sinfônicas foram compostas “a partir de temas noruegueses” reunidos, em sua maioria, pelo compositor Ludvig M. Lindeman (1812-1887). O Allegro moderato e marcato é derivado do halling, dança popular norueguesa. O Allegretto Grazioso também se inspira na mesma dança, explorando, porém, seus elementos mais líricos.

23 jun 2019
domingo, 11h00

Sala Minas Gerais
concerto gratuito

Retirada antecipada*: a partir do dia 18 de junho, às 12h, apenas na bilheteria da Sala Minas Gerais.
Retirada no dia da apresentação*: 300 ingressos serão distribuídos na manhã do concerto, a partir das 9h, na bilheteria da Sala Minas Gerais.
* Limitada a 4 ingressos por pessoa.

|    mais informações sobre ingressos
Quero ser lembrado deste concerto.
adicione à agenda 23/06/2019 11:00 AM America/Sao_Paulo Formas musicais false DD/MM/YYYY
Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb
26 27 28 29 30 31 1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30 1 2 3 4 5 6