Havana, Viena e Hamburgo

Andrés Cárdenes, regente convidado e violino

|    Allegro 2022

|    Vivace 2022

SCHUBERT
MENDELSSOHN
BRAHMS
Sinfonia nº 4 em dó menor, D. 417, "Trágica"
Concerto para violino em ré menor
Danças Húngaras números 1, 10, 11, 14 e 5

Andrés Cárdenes, regente convidado e violino

O cubano Andrés Cárdenes começou seus estudos aos 15 anos com Thor Johnson, antigo diretor musical da Sinfônica de Cincinnati. Depois de passar pela Universidade de Indiana para estudar com o lendário Josef Gingold, Cárdenes continuou sua formação sob a tutela de Bryan Balkwill, então regente da Covent Garden. Aos 25, aceitou o posto de spalla das orquestras sinfônicas de San Diego, Utah e Pittsburgh, permanecendo por 25 anos no posto. Alguns de seus mentores são Lorin Maazel, Charles Dutoit, Rafael Fruhbeck de Burgos, Leonard Slatkin, Sir Andrew Davis e David Zinman. Além da frequente colaboração com a Sinfônica de Pittsburgh, Cárdenes conduziu diversas orquestras pelo globo: a Orquestra da Rádio de Munique, Sinfônicas de Dallas, San Diego, New West, da Venezuela e as filarmônicas de Brevard, Cleveland Institute e a Fundación Beethoven, em Santiago, Chile.

Programa de Concerto

Sinfonia nº 4 em dó menor, D. 417, "Trágica" | SCHUBERT

Entre os compositores canônicos do Classicismo vienense, Schubert foi o único que nasceu na capital austríaca. Até sua morte, aos 31, compôs prolificamente. Destacou-se em gêneros então marginais, como a canção, o duo pianístico e peças para piano. Nas músicas de câmara e sinfônica, amadureceu gradualmente. De todas as formas que praticou, a sinfonia era a que menos interessava a seus apoiadores. A Quarta de suas sete sinfonias foi concluída aos dezenove anos. A estreia só ocorreu em 1849, duas décadas após sua morte, em Leipzig. Responsável pela primeira publicação da Quarta, em 1884, Brahms declarou ao editor que as sinfonias juvenis “não deveriam ser publicadas, mas apenas piamente preservadas”. Em seu tempo, Dvorák foi um dos poucos admiradores dessas obras, nas quais o caráter das melodias, as progressões harmônicas e vários detalhes de orquestração lhe revelavam a individualidade de Schubert. A crítica atual procura dissociar a Quarta da sombra de Beethoven. Ao apresentá-la na BBC de Londres em 2014, Stephen Johnson ressaltou a engenhosidade das transformações de motivos, a ousadia dos encadeamentos de acordes, os contrastes de afetos e a constância de motivos em transformação através de seções de caráter antagônico.

Inspirado diretamente em concertos de J. S. Bach, o Concerto para violino em ré menor é uma obra de juventude. Composto em 1822, ele foi dedicado a Eduard Rietz, professor de Felix Mendelssohn. A escrita para o violino revela um precoce conhecimento acerca do instrumento. À época, o compositor alemão tinha treze anos.

Originalmente escritas para piano a quatro mãos, as Danças Húngaras estão entre as obras mais conhecidas de Johannes Brahms. Seu interesse pela música cigana cresceu durante uma turnê com o violinista húngaro Eduard Reményi, em 1853. Brahms era conhecido entre os amigos por seu senso de humor, e é bem possível que as Danças sejam o melhor exemplo deste lado divertido da personalidade do compositor. São 21 ao todo, publicadas em dois grupos, entre 1868 e 1880. Delas, Brahms também lançou as dez primeiras em versão para piano solo e orquestrou apenas três, 1, 3 e 10. As restantes foram orquestradas por outros músicos, já depois da morte de Brahms.

25 nov 2022
sexta-feira, 20h30

Sala Minas Gerais

26 nov 2022
sábado, 20h30

Sala Minas Gerais
Quero ser lembrado deste concerto.
adicione à agenda 25/11/2022 8:30 PM America/Sao_Paulo Havana, Viena e Hamburgo false DD/MM/YYYY