O conforto da descoberta – filho

Conrad van Alphen, regente convidado
Philippe Quint, violino

ROUSSEL
BOLCOM
BEETHOVEN
Baco e Ariadne, op. 43: Suíte nº 1
Concerto para violino em Ré
Sinfonia nº 4 em Si bemol maior, op. 60

Conrad van Alphen, regente convidado

O maestro Conrad van Alphen é conhecido pela combinação de excepcional sensibilidade, visão e frescor. Como artista membro da Sociedade Filarmônica de Moscou, colabora estreitamente com a Orquestra Nacional Russa, bem como outras orquestras do país. Na virada do milênio, van Alphen fundou a Sinfonia Rotterdam, da qual continua exercendo o papel de regente principal e diretor artístico. Sob a batuta do maestro, a orquestra atingiu reconhecimento internacional, sendo aclamada em palcos na Rússia, Chile, México, Brasil e Colômbia. Já colaborou com as sinfônicas de Montreal, do Gran Teatro del Liceu, de Barcelona, de Bochumer e Allborg, na Dinamarca, e as filarmônicas de Stuttgart e de Medellín. Nasceu em 1963, em Pretoria, capital da África do Sul, e concentrou os estudos em sua cidade natal. Aos 26, se mudou para os Países Baixos, onde se uniu ao naipe de contrabaixos da Orquestra Filarmônica da Rádio de Hilversum e a Beethoven Academie, na Antuérpia. Conrad van Alphen estudou regência com Eri Klas e Roberto Benzi.

O violinista Philippe Quint traça um caminho raro, ao reinventar trabalhos tradicionais, redescobrir repertórios esquecidos e comissionar obras a compositores contemporâneos. Quint recebeu várias indicações ao Grammy por seus dois álbuns com os concertos de Korngold e William Schuman. Requisitado em todo o mundo, ele se apresenta nas principais salas, do Gewandhaus de Leipzig ao Carnegie Hall de Nova York. Já trabalhou sob a batuta de Marin Alsop, Carl St. Clair, Tugan Sokhiev, Kurt Masur, Krzysztof Urbanski, Steven Sloane, Michael Stern, Bramwell Tovey e Martin Yates, entre outros. Um ativo músico de câmara, colabora frequentemente com os violoncelistas Alisa Weilerstein, Gary Hoffman, Carter Brey, Nicholas Altstaedt, Claudio Bohorquez, Zuill Bailey e Jan Vogler; os pianistas William Wolfram, Inon Barnatan, Alon Goldstein, Marc-Andre Hamelin, Simone Dinnerstein, Jeffrey Kahane; os violistas Nils Monkemeyer e Lily Francis, bem como com seus colegas violinistas Joshua Bell, Cho-Liang Lin e Vadim Gluzman.

Programa de Concerto

No mesmo ano do Concerto op. 58, Beethoven compôs a Sinfonia nº 4 que tem um clima otimista, completamente diverso do espírito dramático da Eroica e da Quinta. Ela reflete sentimentos intimistas, com um aparato discreto. Entretanto, suas inovações e maestria desmentem qualquer afirmativa de ser uma sinfonia menor. A obra foi estreada em março de 1807 em um concerto na casa do patrono de Beethoven, o Príncipe Lobkowitz, em um programa que incluía também as outras três primeiras sinfonias.

Quero ser lembrado deste concerto.
adicione à agenda 19/06/2020 8:30 PM America/Sao_Paulo O conforto da descoberta – filho false DD/MM/YYYY