Sérvia e Santoro

Vladimir Kulenovic, regente convidado
Marina Martins, violoncelo

|    Presto 2022

|    Veloce 2022

RIMSKY-KORSAKOV
SANTORO
SHOSTAKOVICH
Fantasia sobre temas sérvios, op. 6
Concerto para violoncelo
Sinfonia nº 10 em mi menor, op. 93

Vladimir Kulenovic, regente convidado

Atual diretor artístico da Lake Forest Symphony, Vladimir Kulenovic foi regente associado da Sinfônica e da Ópera de Utah por quatro temporadas, regente assistente da Ópera Lírica de Chicago e regente residente na Filarmônica de Belgrado. Nos Estados Unidos, atuou como regente convidado com as sinfônicas de Chicago, Columbus, Grand Rapids, Houston, Indianápolis, Knoxville, Alabama, Jacksonville e São Francisco. Em outros países, Kulenovic apresentou-se com as orquestras Beethoven-Orchester, de Bonn, Bilkent Symphony, Turquia, Deutsche Kammerakademie Neuss am Rhein, Leipziger Symphonie Orchester, Filarmônica da Malásia, Orquestra do Centro Nacional de Artes de Ottawa, Filarmônica da Eslovênia, Sinfônica de Taipei, Filarmônica de Zagreb, Filarmônica da Macedônica e Ópera Nacional da Macedônica. Em 2012, Vladimir Kulenovic foi reconhecido com a Mendelssohn-Bartholdy Scholarship, tornando-se regente assistente na Orquestra Gewandhaus de Leipzig, o que lhe permitiu trabalhar de perto com o maestro Kurt Masur. Ele também foi assistente de Bernard Haitink na Sinfônica de Boston, preparou orquestras para Zubin Mehta e foi regente substituto na Orquestra Sinfônica e na Ópera de Baltimore, assim como na Ópera de Florentine.

Programa de Concerto

Shostakovich foi denunciado duas vezes ao Partido Comunista por compor uma música demasiado formalista e ocidentalizante, de base nitidamente não russa, que não atingia as massas proletárias. Após a segunda denúncia, a maior parte de suas obras foi banida, ele foi demitido do Conservatório de Leningrado e muitos dos privilégios de sua família foram cancelados. A Décima Sinfonia é a primeira grande obra sinfônica do compositor criada após o ocorrido. Dela, encontram-se esboços que datam ainda de 1946, embora, de acordo com cartas de Shostakovich, o ano de sua composição tenha sido 1953. Esse também foi o ano da morte de Stalin. Por isso, alguns críticos consideram essa sinfonia um manifesto contrário ao regime stalinista, mas há muitas controvérsias quanto a isso. Mais interessante é notar que, na décima sinfonia, o compositor faz uso, como em outras obras suas, de um motivo melódico recorrente, que remete a seu próprio nome: a sequência das notas ré, mi bemol, dó e si (que, na notação teutônica, tomariam as siglas DSCH). Esse motivo aparece, como elemento de unidade, transmutado ou explícito, no primeiro, terceiro e quarto movimentos.

25 ago 2022
quinta-feira, 20h30

Sala Minas Gerais

26 ago 2022
sexta-feira, 20h30

Sala Minas Gerais
Quero ser lembrado deste concerto.
adicione à agenda 25/08/2022 8:30 PM America/Sao_Paulo Sérvia e Santoro false DD/MM/YYYY