|    14 ago 2018

Sobre a alma hispânica

Dos jardins de Aranjuez, na Espanha, com Joaquín Rodrigo a uma milonga em Buenos Aires com Astor Piazzolla, leia sobre o programa essencialmente hispânico que a nossa Orquestra interpreta no dia 18 de agosto.

2018-blog-aranjuez-Rusinol_Garten_von_Aranjuez_anagoria

por Igor Reyner *

 

Influenciado pelas aulas de composição de Nadia Boulanger e pela música de Gerry Mulligan, que descobrira em Paris, Astor Piazzolla retornou à Argentina e criou o Octeto Buenos Aires em 1955. À formação clássica do sexteto de tango, que contava com dois bandoneons, dois violinos, um contrabaixo e um piano, Piazzolla acrescentou um violoncelo e uma guitarra elétrica, dando vazão a novas sonoridades e a uma linguagem que mescla elementos do tango tradicional, do jazz e da música de concerto europeia; inaugurava, com isso, o Nuevo Tango. Para seu recém-criado grupo compôs, em 1956, Tango Ballet, uma suíte programática em seis cenas – Introdução, A Rua, Encontro – Esquecimento, Cabaret, Solidão, A Rua. Anedótico e sentimental, esse tango foi posteriormente transcrito para orquestra e quarteto de cordas.

 

Composta em 1942, Tres aires chilenos marca o final da vida composicional de Enrique Soro. Estreada no mesmo ano de sua composição, pela Orquesta Sinfónica de Chile, regida por Soro, a obra inspira-se na famosa cueca Ciento veinticinco pesos. mantendo a métrica característica desse estilo de dança da região dos Andes, o conjunto de peças deixa transparecer em sua clareza musical o seu material folclórico de origem. Cada aire constrói uma atmosfera musical singular. Em seu conjunto, elas abrangem passagens sentimentais, doces recitativos e momentos de euforia típicos da dança chilena. Tres aires chilenos figura entre as obras mais bem recebidas da música orquestral chilena da primeira metade do século XX.

 

Composto pelo espanhol Joaquín Rodrigo, em 1939, o mais famoso concerto para violão e orquestra foi inspirado nos jardins do Palacio Real de Aranjuez, residência de primavera da família real espanhola no tempo de Filipe II. Para o compositor, o concerto evoca “a fragrância das magnólias, o cantar dos pássaros e o borbotar das fontes” daquele jardim. Seu famoso adagio, como revelado na autobiografia de Victoria Kamhi, sua esposa, foi inspirado tanto nos felizes dias da lua de mel do casal quanto na dor da perda gestacional de seu primeiro filho. Composto em Paris, às vésperas da Segunda Guerra Mundial, o concerto foi estreado no dia 9 de novembro de 1940, no Palau de la Música Catalana, em Barcelona.

 

Comissionado por Sergei Diaghilev e estreado em 1919, O chapéu de três pontas é um balé do compositor espanhol Manuel de Falla, coreografado por Léonide Massine, com cenário e figurino de Pablo Picasso. Inspirado na novela homônima de Pedro Antonio de Alarcón, publicada em 1874, o enredo do balé narra as confusões de um moleiro, sua esposa e um magistrado depravado. Sua música, escrita entre 1916 e 1917, foi usada inicialmente como trilha da pantomima O Magistrado e a Moleira, num arranjo para dezoito músicos. Após a estreia do balé, Falla agrupa em duas suítes para orquestra suas principais danças.

 

A mais popular obra do espanhol Joaquín Turina, Danças Fantásticas é um conjunto de três peças originalmente compostas para piano a partir de gêneros musicais caracteristicamente espanhóis: Exaltación é uma jota aragonesa; Ensueño, um zorcico basco; e Orgía, uma farruca andaluza. Escrita entre 11 e 29 de agosto de 1919, a suíte foi orquestrada entre 15 de setembro e 30 de dezembro do mesmo ano e estreada em 13 de fevereiro de 1920, pela Orquestra Filarmônica de Madri regida por Bartolomé Pérez Casas. Cada uma das danças tem por epígrafe uma frase extraída de La Orgía, de José Mas, novela que inspirou a obra de Turina.

 

Em 1910, Enrique Granados compõe Goyescas, suíte para piano solo que serviria de inspiração para a composição, em 1915, de uma ópera homônima em um ato. Esta, segundo o compositor, seria “um retrato da vida quintessencialmente espanhola”. Nela, como nos trabalhos de Goya, coexiste o amoroso e o apaixonado, o dramático e o trágico. Concebido no intuito de preencher uma longa mudança de cena, o Intermezzo foi composto numa única noite, alguns dias antes de sua estreia, no dia 28 de janeiro de 1916, no Metropolitan Opera House de Nova York. Embora de pequenas dimensões, tornou-se a obra orquestral mais conhecida e executada de Granados.

 

* Pianista, Mestre em Música pela Universidade Federal de Minas Gerais e Doutor em Literatura pelo King’s College London.

 

[Ilustra esta página um recorte da pintura Jardim de Aranjuez, de Santiago Rusiñol (1861–1931).]

 

REFERÊNCIAS

 

ASTOR PIAZZOLLA

Para ouvir
CD Astor Piazzolla: The Soul of Tango, Greatest Hits – Milan Records – 2000

Para assistir
The Monterey Symphony Chamber Players – Christina Mok e Zlata Grekov, violinos – Chad Kaltinger, viola – Robin Bonnell, violoncelo

Acesse: https://www.youtube.com/watch?v=PPBjB09YYxk

Para ler
María Susana Azzi; Simon Collier – Le Grand Tango: The Life and Music of Astor Piazzolla – Oxford University Press – 2000

 

ENRIQUE SORO

Para ouvir
CD Bicentenario de la música sinfónica chilena – vol. 1 – Enrique Soro; Domingo Santa Cruz; Alfonso Leng – Orquesta Sinfónica de Chile – David del Pino Klinge, regente – Academia Chilena de Bellas Artes – SVR Producciones Limitadas – ABA-SVR-70000-1 – 2003

Para assistir
Orquesta Sinfónica de Antofagasta – Lucio Bruno-Videla, regente
Acesse: https://www.youtube.com/watch?v=cLK5zcUVb_8

Para ler
Raquel Bustos Valderrama – Enrique Soro – Revista Musical Chilena – n. 135-136 – pp. 39-99 – 1976

 

JOAQUÍN RODRIGO

Para ouvir
Julian Bream – Rodrigo: Concierto de Aranjuez; Berkeley: Guitar Concerto – Monteverdi Orchestra – John Eliot Gardiner, regente – Julian Bream, violão – Sony Classical 886444035446 – 2013

Para assistir
Danmarks Radio SymfoniOrkestret – Rafael Frühbeck de Burgos, regente – Pepe Romero, violão
Acesse: https://www.youtube.com/watch?v=ye-FvKCZp3s

Para ler
Victoria Kahmi de Rodrigo – Hand in Hand with Joaquín Rodrigo: My Life at the Maestro’s Side – Latin American Literary Review Press – 1992

Para visitar
www.joaquin-rodrigo.com

 

MANUEL DE FALLA

Para ouvir
CD Manuel de Falla: El sombrero de tres picos; El amor brujo – L’Orchestre de la Suisse Romande – Ernest Ansermet, regente – Teresa Berganza, mezzo-soprano – Decca 00028946699126 – 2004

Para assistir
Chicago Symphony Orchestra – Daniel Barenboim, regente (excerto)
Acesse: https://www.youtube.com/watch?v=bjXXWWszCnQ

Para ler
Carol A. Hess – Manuel de Falla and Modernism in Spain, 1898-1936 – University of Chicago Press – 2001

Tomas Marco – Spanish Music in the Twentieth Century – Harvard University Press – 1993

 

JOAQUÍN TURINA

Para ouvir
CD Turina – Danzas Fantásticas – BBC Philharmonic – Juanjo Mena, regente – Clara Mouriz, mezzo-soprano – Chandos CHAN10753 – 2013

Para assistir
Orquesta Sinfónica de Castilla y León – Jesús López Cobos, regente
Acesse: https://www.youtube.com/watch?v=gLzU3-YvzPc

Para visitar
www.joaquinturina.com

 

ENRIQUE GRANADOS

Para ouvir
CD De Falla: La Vida Breve – Granados: Goyescas – Cagliari Theatre Orchestra – Rafael Frühbeck de Burgos, regente – Dynamic CDS380 – 2002

Para assistir
Portland Youth Philharmonic – David Hattner, regente
Acesse: https://www.youtube.com/watch?v=NOxeu5Zn_bQ

Para ler
Walter Aaron Clark – Enrique Granados: Poet of the piano – Oxford University Press – 2005

Posts relacionados